english version
Recursos do Site


Fim Menu Principal
Malabo News

Cadastre-se e receba em seu e-mail, todas as novidades da Malabo APD.

( fim de malabo news )

Os Ridgebacks se dão bem com crianças?

Por Barbara Sawyer Brown

Ridgebacks adoram a maioria das crianças. Eu digo “a maioria” porque nenhum cão aprecia ser tratado de forma rude. Não há cão que goste de crianças que o tratem com crueldade.

Eu sempre digo às pessoas que, quando crianças pequenas ficam bravas, elas batem. Quando filhotes e cachorros ficam bravos, eles mordem. Eu digo às pessoas que, se seus filhos podem mordem, os cães também podem. Criar um cãozinho não é diferente de criar uma criança. Assim como ensinar suas crianças a se comportarem, você deve fazer seu filhote compreender que, apesar de você amá-lo, ele deve ter limites. E assim como seu filho sabe que, se ele não seguir algumas regras apontadas por você, apesar de você continuar a amá-lo, não ficará feliz, o seu filhote sabe disso e quer você feliz, de bom-humor. Ele nasceu com um forte desejo de agradar você, então você já está um passo adiante, antes mesmo de começar.

Como suas crianças, um filhote aprenderá melhor através de métodos positivos (por bem). Se suas crianças são ferozes e incontroláveis, seu cão será assim também. Não estou sugerindo que crianças devam ser anjinhos o tempo todo. Eu conheço bem pois criei três! Mas apesar de dizerem “crianças são crianças”, você deve estar pronto para deixá-los “sob controle” às vezes! Sim, Ridgebacks se dão bem com crianças que estão sob controle e que foram ensinadas que um cão é algo vivo, que sente dor e tristeza, assim como elas.

O que me atraiu nessa raça, há trinta anos, foi que eu tinha três crianças pequenas naquela época. Eu precisava de um cão que fosse paciente e brincalhão com eles e seus amigos.

Os “amigos” eram uma parte importante, já que eu queria que meus filhos pudessem trazer seus colegas em casa para brincar mas não queria me preocupar com um cachorro que pudesse machucá-los. Ao mesmo tempo em que eu queria um cachorro com instinto protetor, eu não queria que esses instintos fossem tão fortes que o cão pudesse atacar uma criança que estivesse fazendo “brincadeiras-de-mão”, ou fazendo algo parecido, com um filho meu. Saiu um artigo assustador no jornal sobre um cão que viu “sua criança” sendo derrubada, jogando bola no jardim dos fundos, e se atirou contra a vidraça, quebrando-a, e depois atacou a outra criança. O Ridgeback não é esse tipo de cão de guarda. Sim, essa raça é boa com crianças, mas se você tem crianças há regras especiais que devem ser seguidas.

REGRA: nunca permita que sua criança engatinhe no cesto do cão, com este dentro. O cesto, ou caminha, é o lugar de privacidade do animal, um refúgio do mundo, e isso também significa um lugar para escapar das crianças! (Você às vezes não quer um lugar assim também?). Quando o cachorro corre para longe da criança, indicando que já brincaram bastante, respeite sua vontade. Um cachorro encurralado pode morder.

É Regra: nunca permita que as crianças carreguem o cãozinho. Se ele cair ou saltar de seus braços (filhotes não têm medo de altura), quebrará sua perna (ou pernas). Se isso acontecer, não somente seu coração ficará quebrado mas sua conta bancária será esvaziada porque você gastaria mais tempo no Consultório Veterinário do que imagina! Sua perninha terá que sofrer intervenções muitas vezes por semana, devido ao crescimento acelerado de seus membros. Se a criança “precisar” pôr o filhote no colo, que esteja sentada no chão, não encostada em nada. Isso também ensinará ao cãozinho a nunca sentar no sofá. Lembra como eu expliquei que um convite por um momento, é um convite para toda a vida, e que esses pequenos fofinhos um dia serão cães glutões de 40 quilos? Se você não quer um Ridgeback adulto sobre a mobília, não deixe seu Ridgeback filhote brincar com os móveis!

É Regra: Se o cachorro fugir da criança (para a segurança de sua caminha ou cesto, ou mesmo para outro quarto da casa), não, repito, não deixe sua criança ir atrás do cão! O cão agiu corretamente. Ele mostrou à criança que não deseja brincar (ou ser incomodado) e se retirou de cena. Ele poderia ter reagido com uma mordida mas escolheu simplesmente deixar a área! Não deixe a criança encurralar o cão. A criança deve ser ensinada a respeitar sua privacidade. Em se tratando de uma criança pequena, isso talvez signifique que os pais devam pegar a criança em seus braços e chamar sua atenção para outra atividade.

Não é uma regra mas é questão de bom senso: Mesmo que as crianças tenham prometido a você serem responsáveis por cuidar do filhote, elas não cuidarão e irá sobrar para você checar se o cãozinho está alimentado, se ele tem uma tigela limpa com água fresca o tempo todo, se ele passeou, se ele está treinado, se ele está bem, mesmo que as crianças estejam cansadas de brincar com ele. Um antigo ditado diz que nada como um cachorro para ensinar a responsabilidade paterna.

Não é justo com ambos: nem com o cãozinho nem com a criança esperar que seu filho faça tudo isso. Um cãozinho não é um brinquedo que possa ser guardado em uma prateleira de armário. É um cão de verdade! Como um cão de verdade, precisa de você! Suas refeições devem ser pontuais: no mesmo horário todos os dias. Seus passeios devem ser regulares, e se não houver contato social apropriado, isso pode acarretar danos para toda vida. Isso é muito sério para ser ignorado e difícil de ser entendido pelas crianças.

Ensine seu filho a manter seu rosto longe do focinho do cachorro, especialmente com filhotes, que dão patadas de brincadeira. Mesmo que você seja cuidadoso, deixando suas unhas curtas e passeando com ele diariamente, o que gasta suas unhas, elas são afiadas e podem facilmente arranhar. Da mesma forma, quando o cachorrinho fofinho está lambendo seu nariz, ele talvez decida provar o sabor! Lambida aqui, lambida lá, de repente uma mordidinha! Isso não apenas dói mas pode virar uma cicatriz. E você não quer ver o rostinho lindo do seu filho com uma cicatriz! E nunca deixe seu cão com um bebê novinho, uma criança sozinha ou um grupo de crianças, sem supervisão. Lembre que, apesar do cachorro ser o mais doce do mundo, ele ainda é um animal.

Quando crianças brigam, elas batem. Quando cães brigam, eles mordem! O bom senso deve guiar você, aqui. E falando de bom senso… Eu gostaria que as pessoas, cujos cães morderam o rosto de suas filhinhas tivessem usado um pouco de bom senso.

Na noite anterior ao dia da mordida, os pais haviam testemunhado sua filha de seis anos engatinhando no chão em direção ao cachorro, que dormia, e gritou “Boo!” quando estava face-a-face com ele! O cão despertou, rosnando.

O criador daquele cãozinho estava fora do país naquela época, então eles me contataram para perguntar se deveriam se livrar daquele cãozinho de quatro meses por seu “mau temperamento.” As pessoas deveriam ter sido alertadas pelo rosnado do cãozinho que esse tipo de comportamento era arriscado! O cachorrinho foi mudado para uma nova casa, pouco depois, quando a criadora voltou de suas viagens.

Eu sempre digo às pessoas que o comportamento de suas crianças é um bom indicador de como seu cão irá se comportar. Reconhecendo o fato de que “crianças são crianças”, se suas crianças nunca estão sob controle você pode esperar a mesma coisa de seu cachorro, já que treinar um cão não é diferente de ensinar uma criança. Ambos devem ser feitos com recompensas! (Nós te amamos mas devemos estabelecer limites para você e se você não seguir esses limites nós continuaremos a te amar mas ficaremos muito tristes com você e nós somos muito mais legais quando estamos felizes!).

Os pais nunca devem deixar suas crianças e o cãozinho terem atritos. Eles devem brincar juntos e assim o cãozinho aprende sobre seu lugar na família. O natural para o cãozinho é ver sua nova família como seu grupo, e as crianças como seus irmãozinhos de ninhada. Você não quer um cão que se coloque acima na ordem da família do que as crianças pois esse tipo de comportamento pode ser bonitinho quando o cão é jovem, mas pode ser realmente perigoso quando você tem um cão crescido que olhe para as crianças como seus subordinados. Seu criador terá estudado comportamento familiar e estará habilitado a falar mais sobre isso do que pode ser dito em uma web page. Ouça cuidadosamente, e se tiver mais perguntas, pergunte a ele ou então telefone mais tarde se surgir alguma dúvida.

Novos pais devem perceber que se eles trataram seu filhote como um filho, antes de o bebê nascer, eles não devem abandona-lo só porque eles estão ganhando uma criança humana no lar. O cão não deve ser trancado longe da criança. Se o cão era acostumado a passear duas vezes ao dia, ele deverá continuar passeando duas vezes ao dia. O tempo está curto, agora? Então faça passeios mais curtos! Mas a mensagem importante que deve ser transmitida ao cão é que o bebê irá trazer mais prazer à vida dele, e não que ele será tratado como um simples cachorro depois de uma vida cheia de regalias! (É muito simples satisfazer essa raça).

Eu sempre pensei que é um filhote de sorte aquele que tem uma criança na sua casa. Depois de ouvir a desculpa (muitas vezes) “Um bebê está vindo e nós precisamos nos livrar do cachorro”, eu mudei meu modo de pensar. Crianças e cães podem ser uma alegria juntos! Mas para isso é necessário bom senso dos pais, compromisso e uma boa dose de treinamento, não só dos cães mas também das crianças.